sexta-feira, 30 de julho de 2010

Cartoons

Postado por Aline Brito às 22:53 2 comentários
a
a
a
a
a
a
a
a
a



quinta-feira, 29 de julho de 2010

É cada paracé...

Postado por Aline Brito às 23:53 4 comentários
Sou professora de português e redação, e vejo certas coisas escritas por aí que dão gastura... hihi
 
Sinceridade...

Crê em Deus Pai.
Como assim?
Sei... Já entendi.
Olha, faz medo falar do "cara", mas que é engraçado, é!
Que chique isso.
Falta de coleguismo, minha gente!
Não sei quem faz mais merda nessa história...
Será da prefeitura de...?
Como assim? (2)
Também quero!
As palavras parônimas já confundem o povo. Tenho pena.
Isso é o cúmulo do aportuguesamento.
É parecido, mas...
Como dia Lui, "interessante..."
Olha as parônimas aí novamente. Aguento isso?!
Não diga!

Pois é, sou obrigada a conviver com isso. É pra rir ou chorar? Vida difícil...

quarta-feira, 28 de julho de 2010

Mulher fala pelos cotovelos

Postado por Aline Brito às 16:57 6 comentários
Ela: "Oi, amor, não falei com você ainda hoje. Nem por mensagem... Tô ligando pra contar como foi meu dia. Acordei um pouco atrasada, mas consegui chegar a tempo no trabalho. Ainda bem que minha chefe não me deu bronca. Fico agoniada quando minha chefe percebe que chego atrasada. O trânsito estava um pouco lento, mas a cidade está assim sempre, né?"
Ele: "É."
Ela: "O trabalho foi aquilo de sempre. Fiz tudo que tinha de fazer, afinal, eu tenho de cumprir minhas obrigações e fazer jus ao salário que recebo. Mas eu tava com um sono da pega, vontade de ir embora. Com esse frio fico sempre assim. E tá muito frio ultimamente. Você sabe que eu adoro dormir né?
Ele: "Sei".
Ela: "E depois do trabalho sabe onde eu fui? No teatro! Pois é, foi muito legal, as apresentações estavam ótimas, e eu me diverti bastante. Tinha música, humor, um pouco de tudo. Teve um rapaz que fez uma imitação muito interessante, ele ganhou muitos aplausos. Não estava muito cheio o teatro, um número razoável de pessoas. A roupa que o artista principal usou também estava muito bonita."
Ele "Foi?"
Ela: "Foi. Ah, outra coisa, depois do teatro fui lanchar com minhas amigas. Comi um sanduíche tão grande, amor, precisa ver. Foi a primeira vez que comi um daqueles. Nem eu acreditei que eu tava comendo aquilo tudo... Ah, mas só eu falo, nem deixo você falar. Me conte como foi seu dia".
Ele: "Produtivo..."
Ela: "Ah, legal, amanhã a gente se fala mais um pouco, tá? Vou desligar agora, porque vai começar meu programa de TV favorito. Não posso perder nem um pedacinho. Adoro. Beijos, viu."
Ele: "Beijos".

terça-feira, 27 de julho de 2010

Finalmente encontrei um namorado

Postado por Aline Brito às 08:49 4 comentários
Há um tempo eu vinha procurando... Fui em diversos lugares pra ver se encontrava, ouvi conselhos, ficava olhando, já estava impaciente... Mas não podia ser qualquer um. Tinha de ser bonito, ter aparência saudável. Mas eu sabia que ia encontrar. Conversei com um rapaz que me explicou: "Olha, freguesa, tem namorado, dourado, merlusa, e badejo". E eu, com convicção, respondi: "Quero o namorado". E pronto, comprei o peixe no supermercado e levei pra casa. Finalmente encontrei o que estava procurando.

segunda-feira, 26 de julho de 2010

Meu amigo Macarrão

Postado por Aline Brito às 08:44 4 comentários

quinta-feira, 22 de julho de 2010

Não reclame do seu trabalho

Postado por Aline Brito às 20:08 0 comentários

quarta-feira, 21 de julho de 2010

O significado do "lá ele"

Postado por Aline Brito às 09:07 4 comentários
O "lá ele" é uma das mais importantes expressões do idioma baianês, mais especificamente do dialeto soteropolitano baixo-vulgar. Segundo os léxicos, a expressão significa "outra pessoa, não eu" (LARIÚ, Nivaldo. Dicionário de baianês. 3ª ed. rev. e ampl. Salvador: EGBA, 2007, s/n).
A origem da expressão é ambígua. Alguns etimologistas atribuem seu surgimento às nativas do bairro da Mata Escura, enquanto outros identificam registros mais antigos no falar dos moradores do Pau Miúdo. O certo, porém é que o "lá ele" desempenha papel fundamental em um dos aspectos mais importantes da cultura da primeira capital do Brasil - a subcultura urbana do duplo sentido. Desde a mais tenra infância, os naturais da Soterópolis são treinados para identificar frases passíveis de dupla interpretação. Da mesma forma, os soteropolitanos aprendem desde cedo a engendrar artimanhas para que seu interlocutor profira expressões de duplo sentido. Assim, as pessoas vivem sob constante tensão vocabular, cuidando para não fazer afirmações que possam ser deturpadas pelo interlocutor. Para indivíduos do sexo masculino, por exemplo, é vedado conjugar na primeira pessoa inocentes verbos como "dar", "sentar", "receber", cair", "chupar" etc. O interlocutor sempre estará atento para, ao primeiro deslize, destruir a reputação de quem pronunciou a palavra proibida.
Como antídoto para a incômoda prática, o "lá ele" surgiu como uma ferramenta indispensável na comunicação do soterpolitano. Assim, o indivíduo que falar algo sujeito a interpretações maliciosas estará a salvo se, imediatamente, antes da reação de seu interlocutor, falar em alto e bom som "lá ele!"
Por exemplo, qualquer homem, por mais macho que seja, terá sua orientação posta em dúvida se falar "Neste Natal comi um ótimo peru". Contudo, se sua frase for "Neste Natal comi um ótimo peru, lá ele!", não haverá qualquer problema. No mesmo diapasão, confira-se:
(i) se um colega de trabalho enviar um e-mail perguntando "vai dar para almoçar hoje?", não se pode redarguir apenas "Sim"; deve-se reponder "Vai dar lá ele. Vamos almoçar";
(ii) se, na pendência do pagamento de polpudos honorários, um advogado perguntar ao outro "Já recebeu?", a resposta deverá ser "Recebeu lá ele. Já foi pago";
(iii) ou, ainda, se alguém tiver a desdita a desdita de nascer no citado bairro do Pau Miúdo, o que poderá transformar sua vida em um interminável festival de chacotas, deverá sempre valer-se da ressalva: "eu sou do Pau Miúdo, lá ele".
Para melhor compreensão da matéria, reproduz-se abaixo um exemplo real, ocorrido no último domingo durante a transmissão do épico triunfo (vitória é coisa de chibungo, lá ele) do glorioso Esporte Clube Bahia sobre o Atlético de Alagoinhas:
- Locutor: "Subiu o cartão amarelo?"
- Repórter: "Subiu o amarelo e o vermelho."
- Locutor: "Mas você está vendo subir tudo!"
- Repórter: "Lá ele!"
Note-se que o "lá ele" pode sofrer variações de gênero e número, de acordo com a palavra que se pretende neutralizar. Se, antes de uma sessão do TJBA, alguém perguntar "Você conhece os membros da turma
julgadora?", deve-se objetar com veemência: "Lá eles!". Ou se o cidadão for à Sorveteria da Ribeira e lhe perguntarem "Quantas bolas o senhor deseja?", é de todo recomendável que se responda "Duas, lá elas, por favor".
A cultura duplo sentido oferece outros fenômenos da comunicação interpessoal. Veja-se, a título de ilustração, o sufixo "ives".
Em Salvador, não se pode falar palavras terminadas em "u", principalmente as oxítonas. Independentemente de sexo, idade ou classe social, o indivíduo poderá ser mandado para aquele lugar (lá ele). A pronúncia de uma palavra que dê (lá ela) rima com o nome popular do esfíncter (lá ele) será prontamente rebatida com a amável sugestão.
Para fazer face ao problema, a vogal "u" passou a ser costumeiramente substituída pelo sufixo "ives". Destarte, o capitão da Seleção de 2002 é tratado como "Cafives"; o Estádio de Pituaçu virou "Pituacives"; o bairro do Curuzu se tornou "Curuzives"; a capital de Sergipe sói ser chamada de "Aracajives"; e as pessoas que atendiam pela alcunha de Babu, com frequência utilizada na Bahia para apelidar carinhosamente pessoas de feições simiescas, há muito tempo passaram a ser chamadas de "Babives".
Um alentado estudo do "lá ele", que tem outras aplicações práticas além daquelas ora examinadas, pode ser encontrado na obra http://ohsuamisera/. blogspot. com/2008/ 10/oxente- rapaz-l-ele. html. Para o "ives", recomenda-se o estudo dehttp://www.bbmp. com.br/?p=399, que inclusive analisa a relação do sufixo com a expressão "lá ele".

terça-feira, 20 de julho de 2010

Tabela Internacional de Graduação de Macho

Postado por Aline Brito às 13:58 0 comentários
Eu sei que alguns dos critérios que serão apresentados a seguir são exagerados, mas que é engraçado, é:



1 - ESPORTES




a.. Futebol, automobilismo, esportes radicais = MACHO

b.. Boliche, voleibol = TENDÊNCIAS GAYS

c.. Aeróbica, spinning = GAY

d.. Patinação no Gelo, Ginástica Olímpica = BICHONA

e.. Os mesmos anteriores, usando short de lycra = BICHONA LOUCA



2 - COMIDAS



a.. Capivara, javali, comida muito apimentada = CONAN

b.. Churrasco, Massas, Frituras = MACHO

c.. Peixe e salada = FRESCO

d.. Sanduíches integrais = GAY

e.. Aves acompanhadas de vegetais cozidos no vapor = BICHA ASSUMIDA



3 - BEBIDAS



a.. Cachaça, cerveja, whisky = MACHO

b.. Vinho, vodka = HOMEM

c.. Caipifruta = GAY

d.. Suco de frutas normais e licores doces = MUITO GAY

e.. Suco de açaí, carambola, cupuaçu, com adoçante = PERDIDAMENTE GAY



4 - HIGIENE



a.. Toma banho rápido, usa sabão em barra = LEGIONÁRIO

b.. Toma banho rápido, usa xampu e esquece das orelhas ou do pescoço = MACHO

c.. Toma banho sem pressa e curte a água tocando uma no banheiro= HOMEM

d.. Demora mais de meia hora e usa sabonete líquido = TENDÊNCIAS GAYS PREOCUPANTES

e.. Toma banho com sais e espuma na banheira = VIADAÇO SEM CURA



5 - CERVEJA



a.. Gelada e em grandes quantidades = DESTROÇADOR

b.. Só cervejas extra, premium e importadas = HOMEM FINO DEMAIS

c.. Só uma às vezes para matar a sede = BICHICE SOB CONTROLE

d.. Com limão e guardanapo em volta do copo = BICHA

e.. Sem álcool = GAZELA SALTITANTE



6 - PRESENTES QUE GOSTA DE GANHAR



a.. Ferramentas = OGRO

b.. Garrafa de whisky = MACHO

c.. Eletrônicos, informática, roupas de homem = HOMEM MODERNO

d.. Flores = VIADO

e.. Velas aromáticas, perfumes,doces caramelados, bombons = DONZELA VIRGEM



7 - CREMES



a.. Só creme dental = GORILA

b.. Protetor solar só na praia e piscina = HOMEM MODERNO

c.. Usa cremes no verão = BICHA FRESCA

d.. Usa cremes o ano todo = BICHONA TOTAL

e.. Não vive sem hidratante = CONSTA NA FILA DE ESPERA DA OPERAÇÃO PRA TROCA DE SEXO



8 - ANIMAIS DE ESTIMAÇÃO



a.. Só dinossauros =BRUTO

b.. Tem um vira-lata que come restos da comida = HOMEM

C.. Tem cão de raça que só vive dentro de casa e come ração especial = BICHA

d.. O cão de raça dorme na sua própria cama = BICHONA TOTAL

e.. Prefere gatos = TOTALMENTE PASSIVA



9 - PLANTAS



a.. Nem pra comer = TROGLODITA

b.. Come algumas de vez em quando = RAMBO

c.. Tem umas no quintal, mas nem são regadas = HOMEM

d.. Tem plantinhas na varanda do apartamento = VIADO

e.. Rega, poda e conversa com as flores do jardim = BICHONA PERDIDA



10 - RELAÇÃO COM ESPELHO



a.. Não usa = VIKING

b.. Usa para fazer barba = MACHO

c.. Admira sua pele e observa seus músculos = GAY

d.. Idem c, e ainda analisa a bunda = LOUCA

e.. Admira-se com diferentes camisas e penteados = TRAVECO



11 - PENTEADO

a.. Não se penteia ou rapa tudo = SELVAGEM

b.. Só se penteia pra sair à noite = HOMEM

c.. Penteia-se várias vezes ao dia = FRESCO

d.. Pinta o cabelo = BICHONA TOTAL

e.. Dá conselhos de penteados = BELA ADORMECIDA

segunda-feira, 19 de julho de 2010

A ladra de pinças

Postado por Aline Brito às 19:11 0 comentários
Não tem aquelas pinças de "fazer sobrancelhas"?. Pois, quando eu ainda era pré-adolescente, já andava com uma dessas na bolsa. Carregava pra todo lugar. Certa vez, já na adolescência (ou seja, não faz tanto tempo assim - hihi), notei que minha pinça estava sobre a penteadeira da casa de campo (aqui a gente chama de roça mesmo) da minha madrinha de crisma. Tínhamos ido passar um final de semana, um grupo bom, várias pessoas, e ficaria difícil, então, eu saber quem mexeu na minha bagagem pra pegar minha pinça e ainda deixar em cima do móvel. Então, em vez de reclamar, guardei a pinça. No outro dia, pra meu espanto, olha a pinça lá de novo! Aí já imaginei que estavam curtindo com minha cara. Preferi ficar quieta e apenas guardei o objeto. Mas não é que aconteceu de novo? Minha reação foi até calma, porque dá raiva isso, né? Mas só tinha gente conhecida lá, então só podia ser brincadeira... Enfim, chegando em casa, quando fui desarrumar a bagagem, lá estavam 4 pinças, isso mesmo, QUATRO pinças, 3 delas provavelmente eram da dona da casa, minha madrinha, que usava e deixava lá em cima. Agora a coitada é que deve estar lá imaginando quem foi que pegou suas pinças. E eu até hoje não expliquei pra ela que a sumidoura de pinças fui eu! Que desencontro!

domingo, 18 de julho de 2010

Fotos sensuais

Postado por Aline Brito às 20:02 0 comentários

Tem mais no Orkut alheio. Tem gente que não poderia ter Orkut, heim? :p

sexta-feira, 16 de julho de 2010

Dramas femininos em tiras

Postado por Aline Brito às 09:40 3 comentários










Colaboração: Julianna Torezanni
 

Tinha de ser ela... Por Aline Brito | TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © 2010 | Engenharia e Design de Marlos Ross